quarta-feira, 29 de março de 2017

Poema para Gaiô

Aqui eu e Gaiô no dia do lançamento de seu livro


A Gaiô é uma pessoa-poema. Delicada, elegante, irradia paz e serenidade.
Uma artista de manifestação multipla.
Boa e certa companhia nos nossos encontros pela arte.
Uma mãe de família, mulher plena, avó.
Estar perto dela é sentir o perfume de tudo isso que Gaiô é.
A pedido de seu marido , João, fiz este poema para uma homenagem.
Quem conhece a Gaiô sabe que tudo que está aí é verdade.

Gaiô

É da espécie Deusa-Fada

Dizem que fala com as coisas
argila, tinta, fotografias, lápis
e elas lhe contam o que querem ser
e como querem estar

Daí ela as transforma no que chama de Arte

É ordenadora de palavras
Alinha-as com uma boa idéia
de modo a soarem belas juntas
e elas a obedecem sem questionar
poetando melodiosas

Dizem, também, que canta
Agora sei que sim
Canta com alma
o encanto do bem

É do João e o João é dela
Mas ele é generoso
concede-nos sua bela dama
que se derrama em ternuras

Recolho minha parte:
abraços e sorrisos de boa amizade
imagens ternas para a  eternidade

                                                       Eliane Ratier para Gaiô em março de 2016 

Nenhum comentário:

Postar um comentário