domingo, 30 de abril de 2017

Livro- A Alma Encantadora das Ruas- João do Rio



Delicioso relato sobre a cidade do Rio de Janeiros, paisagens, fatos e costumes do início do século XX . A cidade que era, e ainda é, as origens ditos com humor e poesia  na voz de seu cronista maior João do Rio.
Para quem tem passeado pelo Rio, este livro é um excelente guia. Muitas coisas ainda estão lá, do mesmo jeito.
Para quem só tem ouvido falar da cidade, este livro mostra que tudo sempre foi assim e , pelo andar da carruagem continuará sendo.
Talvez o livro não seja sobre a cidade , mas sobre o humano que a habita e que habita qualquer lugar.
Sensacional!!
Como o livro preserva a linguagem da época, sua gíria, coloquialismo e estrangeirismos, há um elucidativo glossário o final da edição que li.
Livro que li devagarinho por ser muita e diversa informação.

 Sobre o autor : Paulo Barreto ( João Paulo Emílio Cristóvão dos Santos Coelho Barreto, João do Rio) jornalista, cronista, contista e teatrólogo, nasceu e faleceu no Rio de Janeiro, 5 de agosto de 1881- 23 de junho de 1921, Foi eleito  para a Academia Brasileira de Letras , cadeira 26, do patrono Laurindo Ribeiro,  em sucessão ao poeta Guimarães Passos.

"É vagabundagem? Talvez. Flanar é a distinção de perambular com inteligência. Nada como o inútil para ser artístico. Daí o desocupado flâneur ter sempre na mente dez mil coisas necessárias, imprescindíveis, que podem ficar eternamente adiadas. "

A Alma Encantadora das Ruas- João do Rio- Editora Saraiva- coleção Saraiva de bolso
Livro bom de autor desejado, com preço irresistível, por isso veio comigo.
Nas livrarias Saraiva.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Exposições temáticas- Alarp

As exposições temáticas da Alarp- Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto, são muito interessantes.
Faço parte da Academia desde 2013 e tive a oportunidade de participar de três destas mostras.
Há artistas que tem dificuldade de trabalhar com temáticas, outros se recusam a fazê-lo, mas a maioria aceita o desafio e consegue resultados surpreendentes.
Os temas são escolhidos pela equipe de artes plásticas, há um texto base, uma pesquisa, uma conversa, uma troca de informações e , por vezes até de objetos representativos dos temas.
Cada artista é livre para desenvolver o tema com sua técnica.
Os escritores são convidados a participar com os textos que são colocados em suportes que se integram à mostra.
A mais recente foi sobre o Hedonismo.
Deixo aqui algumas imagens da exposição que aconteceu em dezembro de 2016.
Sinto-me privilegiada por conviver com artistas maravilhosos.
Parabéns, Alarp!!
Gratidão!!

meu poema Hedonismo


Trabalho de Carmen Zacarelli

Leila Ubbi Baldochi

Hélio Vanucchi

Denise Muller

Norma Campaz

Thirso Cruz

Salviano Santos

Os textos

Fulvia Freitas

Francesco Segneri

Nocera

Miguel Ângelo



domingo, 23 de abril de 2017

Livro- Na terra dos Biquirins- Salma Cury



Livo de crônicas escritas com a delícia de quem ama o lugar onde vive.
Salma perpetuou sua cidade, seu tempo e os costumes.
Deu-nos um retrato de sua Santa Rosa do Viterbo e por isso somos gratos.
Parabéns!!!
Que bom seria se todas as cidades tivessem alguém que as descrevesse com o olhar sincero e amoroso e deixasse ricos relatos em livros ao alcance de todos.
Ganhei este livro da nora da autora, que o ofereceu com entusiasmo.
Grata!!


Na terra dos Biquirins- Salma Cury- edição do autor

video

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Poema autoral- Hedonismo

Este poema foi feito especialmente para a exposiçaõ da Alarp com o tema Hedonismo.




Hedonismo

Sob um teto
seguro e fresco
na maciez do tecido
em tépida luz
um corpo em conforto
descansado
saciado em seu gozo
sede, apetite e sono
sem aflição
nem urgência de ato algum
como um deus
traz no rosto
um sorriso em esboço
perfeito e plácido.
Hedoné!
Até que...
um importuno
inoportuno cisco
de humano desejo
quebrando a alva paz
pedindo providências
exigente em urgências
surja como um clarão
de estrondoso raio
movendo todo
o já  intranquilo ser
para atender
ao despótico querer
Domada, dominada e resolvida
a vontade
vai o pobre corpo
conspurcado de vida
regressar por direito
às efêmeras e divinas

dádivas hedonistas.

domingo, 16 de abril de 2017

Livros- Mayombe- Pepetela



Livro indicado para o vestibular.
Prato cheíssimo para quem souber trabalhar.
Difícil para um jovem leitor sem preparo.
Cultura, história, reflexões,  num belo texto que , vez ou outra, no exato tempo do descanso ou da surpresa, nos brinda com a mágica da poesia.
Uma narrativa que contempla a guerra para libertação de Angola. Assunto árduo, mas abordado com maestria neste livro, cheio de ação e aventura, mantendo o leitor interessado e participante.
O autor, Pepetela, foi ativista do movimento para a libertação de Angola, e narra este conflito de dentro.
Para mim foi revelador e penso que deixei de perceber muita coisa.
Marquei muitas páginas com idéias sempre presentes.
Muito boa leitura!!

"
Quase com lágrimas nos olhos deu a ordem de partida. O cortejo de cinco homens meteu-se na mata, na noite, em passo acelerado, ritmado por um Comissário que fugia, como louco, para não desesperar, correndo para a sua Base, onde as coisas eram normais, onde os homens faziam o que podiam para lutar e esquecer o clima que reinava nas suas costas. O dia rompeu e o Comissário não parou. À frente do grupo, contra todas as medidas de segurança, voava sobre o trilho escorregadio, indiferente aos pedidos dos homens que queriam beber água, indiferente ás lianas que lhe batiam na cara, defraudado, violado, jurando vingança, procurando a companhia e  segurança de Sem Medo, que já se não desiludia de nada, porque com nada se iludia."


Mayombe- Pepetela- Editora Leya
O meu eu ganhei de aniversário do pessoal do Grupo de Leitura, e se acha em toda livraria.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Poema autoral- Mulher

Este poema foi feito especialmente para a comemoração do Dia Internacional da Mulher organizada pela Alarp em março de 2017 e figura no livro comemorativo que foi confeccionado para a data.




Mulher

A beleza nela faz morada
Como gente, como fada
A doçura a envolve
A ternura a define
É rainha, heroína, guerreira
É filha e mãe
Irmã , esposa, companheira
É Deusa
Poderosa e sábia
Menina que sorri
Guarda consigo o universo
Em Divino desígnio
Na prontidão do vir a ser
Às vezes nem ela sabe disso
O espelho é cego e falho
Não mostra o que vai dentro
Por isso escrevo
Para afinar a pele
Acender a luz , trocar o espelho
Dizer ao ouvido do mundo
Quão preciosa é a mulher

E que merece respeito

domingo, 9 de abril de 2017

Livros- Homens Imprudentemente Poéticos- Valter Hugo Mãe



Tá! Mais do mesmo , mas adoro!!!
Quando falei sobre Valter Hugo, na Biblioteca Padre Euclides, pelo Sábado Só Letras, uma gratíssima oportunidade, em setembro de 2016, este livro estava sendo lançado na Europa,  logo depois chegou ao Brasil e mais um pouquinho às minhas mãos, como presente de Natal antecipado. Presente reforçado pela turma do Grupo de Leitura. Mas o que quero dizer, é que na época, eu só sabia que a história se passava no Japão, sobre um fazedor de leques e um oleiro e que o nome era, por si só, instigante.
Esta é mais uma daquelas histórias de Valter Hugo, plena de lirismo de humanidade.
Desta vez o cenário é o Japão rural, mas poderia ter sido qualquer outro lugar, porque a verdadeira história se passa dentro dos personagens e de cada leitor
Dor, amor, ternura.
Não se intimidem com a aparente estranheza das histórias e das personagens.
A escrita de Valter Hugo é de um encanto único.

" Quantos objectos tens na cabeça. Perguntava Itaro. A menina respondia: cinco milhões, como as árvores que vês na floresta, que é o mesmo que ser impossível de contar. O artesão dizia: quanto mais te couber nas  ideias mais fortuna te guardará o destino. A cega ria-se."

Homens imprudentemente poéticos- Valter Hugo Mãe - editora Globo
Em todas as livrarias.

domingo, 2 de abril de 2017

Livro- A Imensidão Íntima dos Carneiros-Marcelo Maluf



Conheci o Marcelo e os "Carneiros" num evento que a editora fez na Biblioteca Padre Euclides.
Este livro foi um dos vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura 2016.
Partindo de uma narrativa autobiográfica, o autor busca suas origens guiado por uma história secreta mas real.
Seguimos magicamente , como ele, seus caminhos, seus "medos", suas paisagens, das longínquas libanesas às próximas, como as ruas de Santa Bárbara D'Oeste.
Nesta narrativa encontramos também o olhar poético e filosófico, as reflexões do autor sempre muito bem colocadas nos personagens. E assim vamos conhecendo mais de um povo que veio de longe fazer parte do nosso povo.

"Talvez o trabalho o faça compreender, meu filho, que os melhores pesamentos que você possa ter nascem da terra e para ela retornam. E são melhores quando deixam de vagar e se concretizam pelo labor. A terra há de cobrir um dia o seu corpo com a delicadeza com que uma mãe cobre o seu filho e o embala para dormir. Não há liberdade maior, meu filho, do que a alma separada da carne."

A Imensidão Intima dos Carneiros- Marcelo Maluf- editora Reformatório
O meu comprei direto da editora no evento e você pode fazer seu pedido direto com ela ou nas livrarias.

Mais sobre isso aqui: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2015/10/1698649-livro-do-paulista-marcelo-maluf-homenageia-as-mil-e-uma-noites.shtml